138/2020 CALM WITH HORSES

Ah que dias ótimos para o cinema irlandês, tenho assistido um filme bom atrás de outro, atrás de outro, atrás de outro.

Calm With Horses vem para coroar essa fase.

E que filme, meus amigos.

Quem se acalma com cavalos é o filho de Arm, um menino com problemas psiquiátricos que mora com a mãe e a avó.

Já Arm é um brutamontes, também com vários problemas visíveis óbvios, ex-boxeador de um vilarejo irlandês que hoje em dia é o “guarda costas” ou o monstrão que resolve os problemas de sua família na força.

E força é o que não lhe falta.

E problemas também não faltam à sua família de traficantes de drogas, onde ninguém é bonzinho, muito pelo contrário.

No final das contas, o mais fofo e o que se aproxima mais de um tipo de humanidade e fofura é o próprio Arm, que fica dividido entre seus irmãos e tios e mãe muito do mal e sua ex namorada, mãe de seu filho.

Calm With Horses é o típico filme britânico de gangsters, que é um gênero que eu amo tanto e que só existe por lá.

Os gangsters de lá não são os mafiosos italianos, nem os bandidos brasileiros nem americanos.

Completamente diferente mas vindos do mesmo “esgoto filosófico”, Arm e sua família poderiam conviver com o povo do ótimo Blue Story, também gangsters britânicos modernos.

Enquanto os caras de Blue vivem no underground da periferia de Londres, Arm vive também no underground, só que do interior irlandês.

O que eles tem em comum é a sensação de família, de proteção, mas principalmente o resolver tudo através da violência extrema.

E Arm, enquanto fica se equilibrando entre sua mãe e a mãe de seu filho, começa a questionar tudo quando seu irmão mais novo e mais punk, junto com seus tios, mandam que ele mate um “amigo” da família.

Nada é fácil nas vidas desses personagens mas tudo é muito fácil para assistirmos com um roteiro muito bem escrito e estruturado, com absolutamente todas personagens perfeitamente criadas e desenvolvidas.

A gente acredita em todo mundo que aparece na tela, acredita em tudo o que eles dizem e fica numa tensão absurda num daqueles típicos filmes de desgraça anunciada, que eu tanto odeio amar.

Se isso tudo não fosse suficiente, o filme é muito bem dirigido pelo talentosíssimo Nick Rowland, com uma fotografia precisa, estilosíssimo, com uma trilha nada óbvia e absolutamente pertinente do Benjamin Power (Blanck Mass) e eficaz e com muito conteúdo, o pacote completo.

Calm With Horses é estrelado por um trio de dar inveja em todo mundo: Cosmo Jarvis, que sumiu dentro do brutamontes Arm, Niamh Algar, a ex de Arm que o faz lembrar que ele é uma pessoa que ama e Barry Keoghan, o moleque maravilhoso do Cervo Sagrado e de American Animals, dois dos meus filmes preferidos dos últimos anos.

Se você gosta de filme que pega no fundo da alma e no estômago, não perca esse Calm With Horses.

NOTA: 🎬🎬🎬🎬1/2

11 pensamentos sobre “138/2020 CALM WITH HORSES

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s