014/2021 MY LITTLE SISTER

My Little Sister, o candidato suíço ao Oscar Internacional, tem uma boa vantagem sobre seus conpetidores: Nina Hoss no elenco.

Pena que para por aí.

O filme das diretoras Stéphanie Chuat e Véronique Reymond usaram e abusram (no melhor sentido) da atriz alemã para contar a história de Lisa, uma escritora alemã que morando na Suíça por causa de seu marido, resolve retornar a Alemanha quando descobre que seu irmão está com câncer.

Tudo o que um irmã mais nova deveria fazer, como ela mesma diz no filme.

Pelo irmão, que é um diretor de teatro em declínio, Lisa resolve voltar a escrever e acha que sua nova peça pode colocar seu irmão de volta aos holofotes.

O problema é que além de seu irmão não se animar com a ideia, apesar de ser ótima, os donos do teatro e do dinheiro também não se animam, já que Sven tem sido um pouco difícil de lidar nos últimos tempos.

My Little Sister é um filme que cabe como uma luva para Nina Hoss, até porque não só ela serviu como inspiração para as diretoras como ajudou a moldar o roteiro por tempos antes de ser filmado.

Só que Nina paira acima de todo o resto do filme, elenco, direção e até intenções ótimas, daquelas que o inferno está cheio.

Esse filme suíço serve muito bem para entendermos que não adianta termos uma “deusa” em uma obra se todo o resto da obra não chega ao seu patamar divino.

NOTA: 🎬🎬🎬

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s