023/2023 UNDER MY SKIN

Dizem por aí que o inferno está cheio de boas intenções.

Under My Skin é um filme cheio de boas intenções.

Ou melhor, o diretor David O’Donnell estava cheio de boas intenções quando realizou este indiezinho sem vergonha que conta a história de Denny (Liv Hewson) e Ryan, um casal que não poderia ser mais oposto.

Dizem também que os opostos se atraem mas, de novo, não aqui.

Denny é uma cantora, toco em bares por trocados, quando recebe, e Ryan é um advogado que frequenta esses bares e por acaso prestou atenção na cantora e insiste em sair com ela.

Um drinque viram 2, que viram uma constante do almofadinha visitando a artista até que ele insiste que eles morem juntos.

Mas tudo isso sem alma, parece que o diretor O’Donnell não estava com vontade de filmar e nem prestava tanta atenção ao que estava sendo feito, a começar pela fotografia horrorosa do filme.

E talvez a algo que se possa ser chamado de direção de arte, que horror.

Pra piorar tudo, Denny, a cantora, aos poucos vai se descobrindo trans e o tal diretor tem a “brilhante ideia” de usar diferentes atrizes nas talvez, não sei, diferentes fases de Denny transicionando.

Até que ele volta com a primeira atriz com a peruca mais ridículo do universo das perucas, um desserviço, uma piada até, que me deixou muito incomodado.

Resumindo: o filme é mal dirigido ao extremo, com ideias idiotas, é feio pois mal iluminado e mal fotografado e como disse lá no começo, é cheio das boas intenções equivocadas demais.

NOTA: 🎬

Advertisement

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s