OSCAR 2021: as lyndas e os lyndos.

O Oscar 2021 começou bem, diferente, ágil e caiu na mesmice chata de todo ano. Esse ano teve até animação de festa de cruzeiro de idosos. O próximo post vai ser sobre os vencedores, mas pra não perder a tradição, … Continuar a ler OSCAR 2021: as lyndas e os lyndos.

O tapete vermelho do Tony, o prêmio do teatro americano.

Gente linda sempre é bom pra começar a semana. Muitos dos artistas que vemos nos filmes grandões, obviamente também fazem teatro, fazem a Broadway e ganham prêmios grandes, como o Tony. Esse ano, por exemplo, o melhor ator foi o ANDREW GARFIELD por seu papel em Angels In America, a já clássica peça sobre o início da “era AIDS”. Mas quem roubou a festa foi Robert De Niro, que ao apresentar o show de Bruce Springsteen, mandou o Trump se fuder, ao que foi aplaudidíssimo. Queria ver algum atorzão daqui com culhão pra detonar o Temeroso ao vivo nesse estilo. Continuar a ler O tapete vermelho do Tony, o prêmio do teatro americano.

323/365 MUDBOUND – LÁGRIMAS SOBRE O MISSISSIPI

Que filme, meu povo, que filme. Já vinha ouvindo grandes elogios sobre Mudbound, mas nenhum chegou aos pés do filme. Mudbound literalmente me deixou chocado, de boca aberta, em mais de um momento. Acho que foi o único filme do ano que provocou isso em mim. O filme se passa nos últimos dias da II Guerra Mundial no Mississipi. Uma família vinda de Memphis compra uma fazenda no Mississipi durante a II Guerra Mundial. Nessa fazenda vivem algumas famílias que por lá trabalham mas com destaque para a família Jackson, uma família de negros liderada pelo pai Hap e pela … Continuar a ler 323/365 MUDBOUND – LÁGRIMAS SOBRE O MISSISSIPI

“Drive” é um filmaço.

Não se assuste com o que eu vou escrever: imagine um filme “cabeça” com muita perseguição de carro, uns gangsters, un anti-héroe, muito sangue, uma vizinha eo filhinho em apuros, só que tudo isso dirigido por um dinamarquês. Como disse, não se assuste. “Drive” é um filme pra poucos que por causa de uma campanha de marketing fenomenal virou para muitos. Começa que tem o Ryan Gosling como o anti herói, um dublê motorista de filmes de ação que nas horas vagas dirige para assaltantes. E o cara dá um show, é safado, é sacana, é romântico, sente medo, briga, … Continuar a ler “Drive” é um filmaço.