030/2021 A ESCAVAÇÃO

Tem filme, como A Escavação, que em princípio é só mais uma produção bem feita e bem escrita baseada em uma história real que acaba passando quase batido em meio a tanto filme bom e ruim que a gente assiste.

Meio que filme mediano, bonitinho mas ordinário.

Mas essa produção lançada pela Netflix atinge níveis cinematográficos que eu não esperava.

A Escavação, como disse, é baseado em uma história real que se passa exatamente nos dias que a Inglaterra declara guerra a Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, onde os nervos britânicos estavam à flor da pele.

Mas no interior, no terreno de uma viúva rica, montes de terra que ficam no meio do nada e sempre aguçaram a curiosidade dos locais, Edith Pretty (a sempre ótima Carey Mulligan) contrata Basil Brown (o sempre mais que ótimo Ralph Fiennes) para tentar descobrir se sua intuição está certa e existe algum tesouro ali enterrado.

A medida que os dias vão passando, Edith vai sofrendo mais com seu estado de saúde frágil, seu filho Robert (Archie Barnes, um ator bem novo que rouba o filme) cada vez mais acredita ser um viajante do espaço e faz com que todos embarquem nas suas aventuras pelo terreno enquanto um soturno Basil Brown descobre que ali naquele monte está enterrada uma embarcação mortuária talvez viking, provavelmente mais antiga ainda.

O ritmo do filme com a opção bem lânguida de direção e fotografia do diretor Simon Stone tiram o filme da zona do ordinário e o elevam a um nível de beleza estética e quase filosófica ímpares, onde se discute a história, o propósito de vida e de sobrevivência às vésperas de uma guerra que será devastadora para os ingleses enquanto se descobre no meio do nada uma história de séculos atrás e que no final se mostra só mais um pontinho na linha do tempo que se iniciou nas cavernas e que não vai terminar tão cedo.

A Escavação é um filme que pode quase passar desapercebido mas que ao final, sob olhos mais atentos e ouvidos mais abertos, se mostra uma linda lição de que nada acaba como a gente espera nem nada começa onde a gente pensou que fosse o início.

NOTA: 🎬🎬🎬🎬

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s