As lindas e o prêmio da crítica dos EUA.

Não tem jeito, essas premiações em tempos pandêmicos são bem chatas. Ou elas já eram e só agora está caindo a ficha pra mim? As demoras nas conexões dos indicados e de quem ganha são de doer. Mas o Critic’s Choice Awards, os prêmios da crítica dos EUA aos melhores em cinema e televisão, pelo menos foram parar nas mão certas. Nomadland venceu melhor filme, direção e mais um monte de coisa boa. Palm Springs venceu melhor comédia. Ator foi pro Chadwick, ele vai levar tudo mesmo, e atriz foi pra Carey Mulligan, minha preferida junto com a Vanessa Kirby. … Continuar a ler As lindas e o prêmio da crítica dos EUA.

10/365 EVERYTHING BEAUTIFUL IS FAR AWAY

Everything Beautiful Is Far Away é um belo de um filminho estranho. Poderia ser melhor? Poderia, sempre. Mas não é um filme porcaria de se jogar fora. O filme tem o triângulo amoroso mais estranho dos últimos anos, o que já é uma grande coisa. Num planta qualquer, ou na Terra em algum lugar do futuro ou de um presente paralelo que deu ruim, um homem vaga com sua cabeça de robô, sua única companhia, até que surge do nada uma garota. Ela está no meio do deserto quase morrendo e ele a salva. Quando ela acorda, ele explica pra … Continuar a ler 10/365 EVERYTHING BEAUTIFUL IS FAR AWAY

349/365 ALMAS SECAS

Confesso que assisti esse filme por causa do Alessandro Nivola, que é um ator que gosto pra caramba e que não sei porque faz muito poucos filmes. E quase sempre filmes bem meia boca. Almas Secas é quase bom. E a melhor coisa do filme é mesmo o Nivola, que inclusive ganhou o prêmio de melhor ator no Festival de Tribeca. O filme conta a história de duas melhores amigas, Juno Temple e Julia Garner, que estão em época de entrar na universidade e acabaram de passar um verão de muita festa, muito tempo juntas e um percalço bem traumático. … Continuar a ler 349/365 ALMAS SECAS