236/365 JOURNEYMAN

E lá vou eu de novo nos filmes de boxe, ainda procurando entender essa minha fixação.

Se bobear esse já é o quarto ou quinto que resenho esse ano (falta pelo menos 1 pra falar ainda).

O bom de Journeyman é que o filme vai para um lado mais sombrio de uma história sobre um boxeador de sucesso, mais velho, que sofre um revés físico o que o leva a repensar a vida em uma descida ao profundo de sua alma.

O filme é escrito, dirigido e estrelado por Paddy Considine, um cara que já tinha se mostrado um belo de um ator e que com esse seu segundo filme nos mostra que também é um belo de um diretor.

A história do boxeador em fim de carreira, que enfrenta uma luta problemática para garantir mais dinheiro e mais estabilidade para sua mulher e sua filha depois de sua aposentadoria acaba sendo um drama sobre pseudo demência, responsabilidade e perda de referências.

Considine tem a sorte de estar cercado de um elenco absurdo de bom, com total destaque para Jodie Whittaker, que faz sua esposa.

Filmão.

NOTA: 🎬🎬🎬1/2

Advertisement

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s