232/2020 THE BAY OF SILENCE

Aparece filme com o Brian Cox e eu faço o que mesmo? Paro tudo e assisto.

The Bay Of Silence é uma tentativa de ser um neto do Hitchcock, ou um filme filhote do Brian de Palma.

Mas infelizmente a diretora Paula van der Oest tá longe de ser talentosa naquele nível.

O filme não é ruim, só não é bom como deveria ser.

É um daqueles suspenses com todos os ingredientes de sucesso.

Uma mulher linda e talentosa (Olga Kurylenko, cada vez melhor) vai mudando radicalmente depois de se casar com um cara que não entende nada o que acontece com ela (vivido pelo maravilhoso Claes Bang de The Square, que estaria pronto pra estourar em Hollywood, não fosse o Drácula tosco que fez pra Netlfix).

Entra Brian Cox como o ex de Rosalind: milionário, mais velho, dono da verdade, poderoso e em controle de uma situação que o atual marido não faz ideia de como lidar.

A história do filme é das melhores, o roteiro já se mostra bem fraquinho daí chega na direção perdida e o filme desce ribanceira a baixo.

Por uns momentos o filme parecia ser um daqueles dramalhões que a gente vê perdido pelas madrugadas dos canais abertos, sem saber como foram parar lá.

Mas, de novo, o filme não é ruim, vale muito pela trama toda, apesar de um spoiler sem querer querendo que o próprio filme dá, culpa de um roteiro mal cuidado.

NOTA: 🎬🎬1/2

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s