289/2020 NOTURNO

Lá fui eu de novo, feito um patinho caindo no papo furado da parcerai Blumhouse/Amazon.

Depois do mediano pra ruim Black Box, do péssimo The Lie, eles lançam a promessa Noturno.

Ou pelo menos o filme que todo mundo estava apostando as fichas.

Ainda não cheguei a conclusão se Noturno é pior que The Lie por causa da pequena pretensão ou se é pior porque o roteiro é absolutamente ruim ou se, pra terminar, a direção é inexistente.

Só sei que eu fiquei com vergonha de mim mesmo ontem a noite ao fim de Noturno, que é um arremedo fraquíssimo (daí a pequena pretensão) de All About Eve com uma vontade de um horror folk mas, como eu disse, com um roteiro escrito por alguém que não sabe escrever e dirigido por alguém que provavelmente nunca assistiu um filme na vida.

Noturno conta a história de rivalidade de irmãs gêmeas que estudam piano, uma é ótima e a outra, como diz um professor, vai ser uma ótima professora.

A grande pianista é descolada, tem namorado, se veste bem enquanto a outra é fechada, estranha, invejosa.

Óbvio.

Só que as coisas aos poucos vão mudando quando Juliet, a tonta, encontra o caderno de uma outra aluna pianista que se matou recentemente e a partir de umas imagens péssimas e óbvias, mas que ela demora pra se ligar, começa a mudar de atitude e, como acha que é tão boa quanto a irmã, começa a desafiá-la.

E de repente começa a cópia tosca da inveja do filme da Bette Davis, que já tinha sido copiada toscamente em Showgirls, que a gente tanto ama mas que em Noturno, o tal diretor resolveu que tinha que fazer igual, só muda um pouquinho, tipo o meme.

O Jason Blum dono da Blumhouse, é um grande cara, com uma grande produtora, que faz muito filme legal, tipo Corra! e Whiplash mas que se mostrou um perdido nesses 3 filmes lançados na Amazon.

Por quê? Como? Explica?

Eu fico pensando se o projeto inicial não seria fazer uma mini série de antologia, onde os episódios fossem independentes com algo em comum e ao vender pra Amazon, ele disse q pegaria o pouco dinheiro e faria longas.

E eles caíram e a gente caiu e a coisa não acaba.

Noturno é tão cheio de clichês em tudo, desde a construção de personagens, das gêmeas, as principais, aos pais toscos, os professores prepotentes, aos namorados idiotas, tem de tudo ali.

Então o roteiro mostra uma vontade de ir pra um lado meio Midsommar e falha miseravelmente e a vergonha aumenta.

Pra quê? Por quê?

Achei que fosse relaxar com um horrorzinho bom e fiquei nervoso de raiva.

NOTA: 🎬

Um pensamento sobre “289/2020 NOTURNO

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s