198/2021 TENHO MEDO TOUREIRO

Pare tudo o que você tiver programado pra assistir esse final de semana e veja essa pérola que está perdida na Amazon Prime.

Tenho Medo Toureiro é um filme chileno obrigatório.

Sensível, romântico, político, poderoso e muito bem filmado, com um elenco inacreditável comandado por um cara que se chama A Loca da Frente, uma bicha velha que se veste de mulher para fazer programa a noite e vive na frente de um armazém onde recebe telefonemas de suas clientes ricas, casadas com os milicos que tomaram o poder no golpe onde Pinochet vira presidente.

A Loca diz que não tem nome para que os homens a chamem do que eles quiserem.

Mas na verdade essa já é o primeiro tapa na nossa cara mostrando o quanto as bichas, que aqui representavam todo tipo de pessoas “fora do normal”, eram tratadas na ditadura chilena.

E por isso mesmo era melhor se esconder, viver bem abaixo da linha do reconhecimento ou da lembrança.

Mas uma noite, depois da polícia entrar em um boteco onde se faziam shows de drags e travestis às escondidas, a Loca consegue fugir e no meio da rua, para não ser presa pela polícia, é interpelada por um homem que estava no boteco e a agarra e beija.

Assim A Loca não só sobrevive como se apaixona por um beijo, de um homem gentil, bonito e mexicano, que a acompanha até sua casa e pede seu telefone, ao que a Loca diz para ele ligar para o armazém e pedir para chamar a Loca da frente.

O mexicano é um ativista de esquerda que começa a visitar muito a Loca e acaba usando sua casa primeiro para guardar livros proibidos, depois para fazer reuniões proibidas e outras coisas mais.

Basicamente o cara acaba tirando a Loca do armário político. Mostrando uma política além da que ela já faz no seu dia a dia.

Lembrem-se que durante o dia a Loca faz bordados como ninguém, como ela mesma diz, para as esposas dos milicos que estão no poder, e assim ela sobrevive, na sua vida dupla e agora tripla, de esquerdista radical.

A Loca é vivida brilhantemente pelo grande Alfredo Castro, um dos grandes atores chilenos, o Tony Manero, ator fetiche do Pablo Larraín.

Se eu achava que ele tinha nascido para ser o imitador do Travolta, já repensei e digo que ele nasceu pra ser essa bicha poderosa, que não leva desaforo pra casa, que sabe se portar, sabe bordar e sabe se apaixonar como ninguém.

Alerta filmão na cabeça, imperdível, uma aula.

NOTA: 🎬🎬🎬🎬🎬

Um pensamento sobre “198/2021 TENHO MEDO TOUREIRO

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s