253/2022 AFTERSUN

Ontem falei da escolha da estrela de Normal People Daisy Edgard-Jones em sua estreia em Hollywood e como ela errou.

Hoje falo da estreia da outra estrela da minha mini série preferida, Paul Mescal e como ele acertou na mosca.

Aftersun é um filme tão, mas tão fofo que eu por vários momentos fiquei com medo esperando alguma coisa muito ruim que poderia acontecer e estragar toda a experiência.

Enquanto Daisy foi pra cabeça e se jogou em um filme gigante, Paul fez um filminho pequeno, pra mostrar a que veio e onde quer ir.

Se o Woody Allen ainda estive se filmando como em tempos dantanho, Paul Mescal com certeza estrelaria seu próximo filme fazendo o papel do Woody jovem noiado.

Aftersun é uma memória, um apanhado de imagens que podem ou não ser reais de Sophie, uma mulher que lembra de férias passadas com seu pai 20 anos atrás na Turquia.

Mescal é Calum, pai de Sophie, um cara jovem, carinhoso, paizão que leva a filha para a praia em uma viagem de fim de verão, antes de começarem as aulas, onde a menina pode ou não ter dado seu primeiro beijo, cantado no karaokê, pedido para o pai não fazê-la passar vergonha, só que não como a adolescente chata mas sim como a menina que ama o pai, muito ligada a ele, que fala da mãe, que cobra o pai do amor que ele ainda sente pela ex esposa e muito mais.

Aftersun parece que não tem roteiro mas sim foi filmado a partir de páginas de um diário imaginário, como disse, de lembranças do que pode ou não ter acontecido 20 anos atrás.

E tudo é filmado com uma intimidade latente, por uma diretora roteirista que sabe. oque está fazendo e que com certeza confia muito em elenco principal a ponto de deixar que o filme seja totalmente contado por pai e filha.

Algumas cenas do pai sozinho no quarto de hotel sofrendo calado ou chorando por não se tem certeza o quê são das coisas mais lindas possíveis.

A gente nem vê por vezes que tem uma equipe ali filmando, que existe ensaio e figurino, de tão fluída e natural a história é contada, obrigado Charlotte Wells, diretora extraordinaire.

Aftersun é uma surpresa gigante em um ano com poucas boas surpresas nos dramas, tudo muito provável demais.

Paul Mescal ter escolhido um filme pequeno e melancólico desses para fazer diz muito sobre o tipo de ator, de artista que ele é, sobre o tipo de carreira ele quer ter, diferente da escolha de Daisy em fazer o filme gigante da produtora da Reese Whiterspoon.

Eu só espero que as escolhas de ambos os levem a sempre papeis mais interessantes em suas carreiras porque eu torço muito por vê-los em mais e melhores filmes.

NOTA: 🎬🎬🎬🎬🎬

3 pensamentos sobre “253/2022 AFTERSUN

    1. Não estou comparando os dois, só comparei os FILMES onde eles estrelam depois de Normal People, um ótimo e outro ruim. Comparei as escolhas. Acho ambos ótimos, grandes atores, mas as escolhas foram bem extremas. (resposta a sad, horny and brazilian (@dramaqueenjuju)

Deixe uma Resposta

Please log in using one of these methods to post your comment:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s